Couchsurfing

Há um tempo atrás prometi postar sobre o Couchsurfing e enrolei uma vida para fazer isso. Ok, agora vai! Antes de começar, no entanto, Couchsurfing é uma rede online onde você pode criar seu perfil e, a partir daí, hospedar e ficar hospedado com gente do mundo inteiro. A ideia é trocar culturas, informações, passear junto, unir gente do planeta inteiro.

Enfim, há mais ou menos um ano e meio a Erica (saudade imensa!!!) voltou da Austrália e resolveu conhecer gente nova em São Paulo. Ela se cadastrou no Couchsurfing e insistiu para que eu fosse em um dos encontros desse grupo lá na Avenida Paulista. Eu, com todo aquele meu bom humor de paulistana que pensa que vai ter que voltar pra casa no ônibus lotado, não queria ir. Mas acabei indo.

Fiquei imensamente perdida e acabei conversando só com quem falava português. Tenho um sério problema com perfeccionismo e, como minhas outras línguas não funcionam tão bem, preferi me restringir ao campo de segurança da língua materna. Nesse dia conheci algumas pessoas interessantes, mas parei por aí.

Até que em junho deste ano resolvi tentar de verdade ver o que era essa história de se hospedar em casa de gente que você nunca viu na vida. Não que isso para mim fosse uma grande novidade, afinal fiquei na casa da Eva em Moçambique – e só a conheci um dia antes de me mudar pra casa dela. Mas não deixou de ser interessante: fiquei quatro ou cinco dias em Porto Alegre na casa de um desconhecido (que hoje não é tão mais desconhecido assim, hehe). E adorei!

Tanto que aqui, em NYC, quis tentar de novo. Por isso, saí do hostel em que estava, no Harlem, e fui para a casa do Luis. Ele nasceu na Guatemala e veio para NYC aos 14 anos, em 1999. Ele mora em Woodside, um dos bairros do Queens, em um apartamento bastante confortável. Fiquei lá apenas duas noites, mas essa diversidade é interessantíssima.

O Luis adora cozinhar – e eu adoro comer! – e fez jantar com tortillas no primeiro dia. Se alguma vez na sua vida você comeu algo que chamavam de tortilla, esqueça: não é a mesma coisa! As tortillas de verdade parecem papel ou pano ou qualquer coisa que você nunca imaginou comer na vida. Mas, incrivelmente, são gostosas! Eu experimentei a de milho azulado (que também nunca soube que existia), primeiro com pure de batata e legumes, e depois com feijão preto. Sem garfo ou faca: use as tortillas. Gostei! Isso é Couchsurfing! Dúvidas?

~ por Lúcia Nascimento em 08/09/2009.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: